Doce negócio familiar

Potencial empreendedor desperta onde há oportunidades
11 de fevereiro de 2020
Feliz Páscoa
13 de abril de 2020

????????????????????????????????????

Uma ideia que surgiu em casa. Foi assim que a microempresária Adelaide Lucia Brutscher começou seu negócio. Ela produzia melado para consumo da família, em São Carlos – SC, até que um dia, de uma visita casual, surgiu a indagação: “O que você acha de comercializá-lo?”. E foi daí que nasceu a inspiração para iniciar um empreendimento focado na produção artesanal de melado e açúcar mascavo.

As vendas foram aumentando potencialmente até que Adelaide decidiu se formalizar, há cerca de oito anos. Ela se orgulha ao contar que seu melado é apreciado e elogiado por todos os consumidores. “Fico muito contente com as vendas e em ouvir que é um produto cremoso, não açucarado, natural e sem misturas. É gratificante”, relata.

A receita que deu origem a seu negócio começou em casa e a fábrica foi construída na parte dos fundos de seu terreno. “A receita é a mesma desde que meu marido e eu iniciamos a produção”, recorda ao citar que o companheiro, Delfin Nicolau, também lhe dava dicas na fabricação. Já o açúcar, Adelaide aprendeu a fazer com sua cunhada. “Ela veio aqui, me ensinou a fazer e a partir disso eu fui em frente”, conta.

O negócio cresceu, ganhou força e, atualmente, Adelaide está com um plano de expansão para sua microempresa. Já comprou mais um terreno e pretende construir para aumentar seu empreendimento na parte industrial. Com a ajuda da família, ela passou a comercialização de 200 kg para quase 1000 kg mensais de melado e açúcar mascavo, com previsão de expandir ainda mais a produção.

Um dos fatores que contribuiu com o seu crescimento nos negócios foi o investimento por meio dos programas Juro Zero e de microcrédito, viabilizados pela Credioeste. A visita dos agentes de crédito rendeu o primeiro passo, que foi investir em maquinário para o trabalho. Depois, foram mais empréstimos para ampliar a fábrica. “Eu comprava as peças e meu marido montava”, lembra.

O agente de crédito da Credioeste, Valmor de Paula, afirma que atende Adelaide há seis anos e pode acompanhar seu desenvolvimento. “Além de produzir cana, ela também arrendou terras para cultivar mais cana-de-açúcar. Para nós, ela é um ponto de referência e a família toda é nossa cliente. Temos prazer em atendê-los e contribuir com a história empreendedora. É gratificante ver o seu negócio crescer por meio do investimento em inovação e qualidade do produto oferecido”, destaca.

“O acesso ao microcrédito é uma das ferramentas que mais auxiliam o microempresário a crescer e fortalecer seu negócio. Isso comprova que o investimento consciente gera resultados e fortalece o empreendimento. Ficamos muito contentes em contribuir para isso, seja com linhas de microcrédito (orientado e produtivo) ou ainda com o Programa Juro Zero”, enfatiza a gerente executiva da Credioeste, Marcia Biffi.

CREDIOESTE

Caracterizada como uma organização sem fins lucrativos criada para atender empreendedores formais e informais, a Credioeste libera, em até 24 horas, os financiamentos de até 10 mil reais com pagamento de 6 a 24 meses. Fundada em 1999, em Chapecó, completou recentemente 20 anos de atuação e conta com mais três pontos avançados de atendimento – Nonoai (RS), Passo Fundo (RS) e Pinhalzinho (SC).